quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sobre Gabriel García Márquez (1927-2014)






Já doente há bastante tempo e sem conseguir “desembrulhar suas memórias”, ele não mais escrevia e vários foram os boatos, mas hoje foi confirmada a morte, aos 87 anos, desse escritor que se fez presente de forma avassaladora na vida de muitos.
Não creio que tenha existido na literatura latino-americana outro artesão da palavra tão criativo e tão influente. Na minha trajetória como leitora, ele foi uma maravilhosa descoberta. Suas histórias fantásticas me ajudaram a entender que a realidade tem muitas facetas e pode sim ser percebida e vivida diferentemente e sem prejuízos por cada pessoa que queira investir um tanto de imaginação e delicadeza.
Nem sei mais quantas vezes já reli sua obra, mas tenho certeza de que o mistério e o encantamento que sinto serão  sempre renovados. Talvez não por acaso ele tenha desejado, antes de ser  escritor, ser mágico.
Que o genial Gabo esteja em paz.


"se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos."
Em: O amor nos tempos do cólera


 


 


Por Aline Andra




Um comentário:

  1. Segundo a minha amiga Morais, ele "foi escrever nas estrelas"...

    ResponderExcluir